Voltar à Agenda

Como perder um país Teatro Municipal do Porto; Diogo Freitas / Momento – Artistas Independentes

Visitar Sítio Web do evento

Teatro

Numa nação devastada por uma guerra civil, uma duvidosa declaração de paz — que propõe suspender a democracia por seis meses — é assinada, levando dois líderes muito diferentes ao poder. Cabe a estes governantes escapar a destinos como os de Troia, cavalgando por um espaço atolado de assombrações interiores e exteriores, enquanto tentam o seu melhor e pior, para tomar as rédeas. Entretanto, um inimigo familiar e silencioso trespassa-os pelos calcanhares até ao coração, como uma flecha dos deuses que desconhece limites. Como perder um país é o segundo espetáculo do ciclo Democracia e os Filhos dos Anos 90 da Momento – Artistas Independentes. Depois de Democracy Has Been Detected, focado na influência da tecnologia de inteligência artificial na democracia, este projeto centra-se no potencial da manipulação, poder e discurso populista.

Diogo Freitas nasceu em 1996, em Famalicão. Iniciou a sua formação em Lisboa, no Teatro da Trindade. Prosseguiu os estudos na ACE – Academia Contemporânea do Espetáculo e mais tarde licenciou-se na ESMAE – Escola Superior de Música de Artes do Espetáculo. Como ator trabalhou com Rogério de Carvalho, Ana Luena, Jorge Pinto, Pedro Galiza, Carlos Pimenta, João Garcia Miguel e Simão Pais. A sua primeira criação foi em 2019, Dilúvio, a partir de textos de Ricardo Neves-Neves. Em 2020 ganhou a Bolsa de Criação O Espaço do Tempo/Fundação la Caixa, com o espetáculo Como Perder Um País. É diretor artístico da estrutura Momento — Artistas Independentes.

Momento — Artistas Independentes é uma estrutura de criação, fundada por Daniel Silva e Diogo Freitas, que nasce da pluralidade de dois jovens artistas com vontade de criar uma identidade enquanto artistas pensadores. O Grande Deus Pã com encenação de Pedro Galiza, que teve a sua estreia na Casa das Artes de Famalicão, abre a jornada desta estrutura. A direção artística está a cargo de Diogo Freitas. Já fizeram textos de Jacinto Lucas Pires, Fernando Pessoa, Filipe Gouveia, entre outros. Já passaram por casas como a Casa das Artes de Famalicão, Teatro Viriato, Teatro Diogo Bernardes. Nos últimos dois anos foram apoiados pela DGArtes para a trilogia Democracia e os Filhos dos Anos 90.

Quando

12 Novembro 2021, Sexta-feira

19h30

Onde

Porto

Teatro Municipal do Porto

Telefone +351223392200

Email bilheteira.tmp@agoraporto.pt

Para Quem

Surdos e deficiência auditiva

Jovens (13-17), Adultos, Seniores

Serviços

Língua Gestual Portuguesa