Voltar à Agenda

Má Educação – Peça em 3 rounds — Inês Barahona & Miguel Fragata / Formiga Atómica TMP – Teatro Municipal do Porto

Visitar Sítio Web do evento

Teatro

Em Má Educação – Peça em 3 Rounds, o palco transforma-se num ringue de boxe. Um piano de cauda acompanha os combates como um árbitro que vai dialogando com quem ali se enfrenta e também com a música que se ouve. Em cena, uma bailarina, uma atriz e uma criança, de três gerações diferentes, entram em jogo e em disputa: quem ensina o quê a quem? Quem prepara quem e para que futuro? Quem aceita retirar-se para dar lugar a outro que chega? Um espelho da Educação: a tensão entre professores e alunos, entre futuro e passado, entre a escola que existe e a que desejamos. Um espetáculo de Inês Barahona e Miguel Fragata, com coreografia de Victor Hugo Pontes, onde o teatro e a dança procuram a revolução de que se faz o futuro. — Inês Barahona & Miguel Fragata

Miguel Fragata (Porto, 1983) é licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Completou o bacharelato em Teatro na Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo. Fundou e dirige, com Inês Barahona, a FORMIGA ATÓMICA. Concebeu e encenou os espetáculos Fake (2020), Montanha-Russa (2018), Do Bosque Para o Mundo (2016), cuja versão francesa Au-Delà de la Forêt, le Monde abriu o 72.º Festival de Avignon (2018). Concebeu e encenou ainda A Visita Escocesa (2016), Pedro, Pedra e Grão (2016), The Wall (2015), O Homem Sem Rótulo (2015), A Caminhada dos Elefantes (2013), espetáculo com versões portuguesa, francesa, alemã e castelhana. Os seus espetáculos têm sido apresentados em teatros e festivais por todo o território nacional e por vários países europeus como França, Suíça, Bélgica, Alemanha e Espanha.

Inês Barahona (Lisboa, 1977) é licenciada em Filosofia. Mestre em Estética e Filosofia da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Ingressou no Centro de Pedagogia e Animação, do Centro Cultural de Belém, em 2005, sob a direção de Madalena Victorino, onde desenvolveu projetos de relação entre as artes e a educação. Com Giacomo Scalisi, foi responsável pelo trabalho de relação com públicos, na inauguração do Teatro Municipal de Portimão, TEMPO, em 2008. Fundou, em 2014, a companhia FORMIGA ATÓMICA com Miguel Fragata, com quem criou os espetáculos A Caminhada dos Elefantes (2013), The Wall (2015), A Visita Escocesa e Do Bosque para o Mundo (2016), Montanha-Russa (2018) e Fake (2020), ocupando-se da escrita.

Quando

18 Março 2023, Sábado

16h00

Para Quem

Surdos e deficiência auditiva

Crianças (até aos 12), Jovens (13-17), Adultos, Seniores

Serviços

Língua Gestual Portuguesa